3 armadilhas que podem te derrubar na rua

Pedalar bem nas ruas ou no trânsito não é questão de sorte, tem que estar atento! 

Quem pedala nas ruas regularmente sabe, existem várias armadilhas expondo os ciclistas a riscos, mas a receita para combater isso é uma só: ATENÇÃO.

Se a sua aventura pelas ruas é ocasional ou diária no ir e vir do trabalho, dá pra perder a conta de tantas situações potencialmente perigosas pelo caminho, e não estou só falando dos veículos e pedestres, mas também dos buracos, lombadas, bueiros, canaletas e tantos outros obstáculos que a qualquer momento podem te levar pro chão.

img-Pedaleria_Pedalando_na_Rua

Ao pedalar nas ruas e avenidas fique atento a tudo, ciclista distraído está sujeito a acidentes.

Canaleta

A canaleta para escoamento de água na junção das ruas é uma das mais perigosas armadilhas urbanas, ela é parecida com aquelas encontradas nos postos de gasolina, sua largura e profundidade podem variar, mas uma coisa não muda, o poder de derrubar ciclista distraídos.

Variando de 4 a 8cm de largura, ela engole facilmente até pneus largos das MTB, e depois que a roda entra é muito difícil sair, pois a profundidade e a largura impedem que roda vire lateralmente para atacar o degrau, e a bike vai roçando a parede da canaleta enquanto se inclina na direção do chão.

img_Armadilhas_na_Rua_Canaleta

A canaleta no encontro de duas ruas oferece grande perigo aos ciclistas, o resultado pode ser um susto ou até uma queda grave.

img_Armadilhas_na_Rua_Canaleta_Larga

Nem pneu largo escapa, se a bike estiver em velocidade e entrar na canaleta, não dá nem tempo de chamar o Santo!

Neste caso, quando se pedala clipado é ainda pior, a coisa acontece tão rápido que mal dá tempo de tirar o pé do pedal, portanto cuidado, nunca ande paralelo e muito próximo a canaleta, ela deve ser transposta em diagonal ou até mesmo de frente.

Buracos

Os buracos se multiplicam aos milhares, eles não tem predadores naturais, hoje não tem nada, daqui a dois dias ele já apareceu no seu caminho, e alguns são muito profundos e  com quinas vivas, capazes não só de te derrubar, mas também cortar um pneu, amassar um aro.

img_Armadilhas_na_Rua_Buracos

Grande, pequeno, não importa, buraco perigoso é aquele que te pega desprevenido, sem tempo de reação.

Assim como os bueiros, os buracos perigosos são aqueles que te pegam de surpresa, pois os que você vê não oferecem risco, dá tempo de desviar, mas atenção para não entrar na frente de um carro fugindo deles.

Se você está seguindo o trânsito a dica é pedalar afastado dos veículos, pois com certeza eles vão passar com uma roda de cada lado do buraco, e você ali, centralizado na traseira de um carro será surpreendido por ele.

Pedalar na sarjeta

Quem trafega pelo canto das ruas e avenidas corre risco duplo, pois o fato de não ocupar a faixa da direita sugere aos motoristas que eles pode passar ao seu lado compartilhando o mesmo espaço. Quando se pedala no meio-fio, aquela faixa de concreto entre o asfalto e a calçada, corremos o risco de bater o pedal na guia, principalmente quando passamos entre uma lombada e a calçada, correndo risco de acertar o pedal em um dos dois obstáculos.

img_Armadilhas_na_Rua_Pedalar_na_Sarjeta

Pedalar na sarjeta é sempre perigoso, passar entre a calçada e a lombada, é ainda pior, os pedais podem bater em um dos dois desequilibrando o ciclista.

img_Armadilhas_na_Rua_Lombada_e_Calcada

Se tiver que passar entre a calçada e a lombada, pare de pedalar por alguns segundos, na dúvida, passe por cima da lombada, é mais seguro!

Em muitos casos, dá pra passar no embalo, sem ter que pedalar bem naquela hora, mas é mais seguro passar por cima da lombada, como todos os outros veículos.

A falta de atenção é o pior inimigo, portanto fique de olho em tudo, no chão, nos carros, nos pedestres e nas regras de trânsito, assim você não será pego de surpresa. Ahh, mais um detalhe importante, mantenha sempre 1 ou 2 dedos nos freios, e pelo amor de Deus, mantenha os polegares na posição correta, embaixo das manoplas, pois se você pegar um buraco inesperadamente com as mãos “apoiadas” nas manoplas, o tombo é certeiro!

Fiquem atentos e bom pedal!

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter