Quando fazer a manutenção na bike

Quando devo fazer a manutenção na bike?

Tem muito ciclista que não se importa com isso, não coloca nem óleo na corrente de vez em quando, mas tem outros que levam a séria a manutenção da bike, que a principio pode parecer cara, mas como as bikes e componentes estão muito sofisticados, esse gasto vale a pena!

As manutenções periódicas evitam o desgaste prematuro dos componentes, e até detectam possíveis quebras de cabos de aço, raios, o desgaste das pastilhas de freio, e por aí vai, mas como agendar essas manutenções de forma coerente pra não gastar muito, será que dá?
Na oficina, o trabalho pode ser simples ou sofisticado, dependendo do que você faz com a bike e também qual o período entre as manutenções. Quem pedala mais na cidade como lazer ou mobilidade a manutenção é simples, quem faz trilha todos os finais de semana a manutenção é pesada, tem que desmontar tudo mesmo!

Pra tirar isso a limpo e criar um calendário de manutenções a gente foi conversar com o pessoal do Centro Técnico da Biketoor, na Zona Sul de São Paulo, pois eles tem muitos clientes com esse perfil, ciclistas que não descuidam da manutenção das magrelas.
Segundo o especialista Alex Sandro, quem pedala uma MTB na cidade, pega poeira, alguma chuva, a manutenção deve ser feira 2 vezes por mês, verificando a lubrificação da corrente, pressão dos pneus e a centralização das rodas, principalmente se a bike rodar com pneus mais finos, que sentem mais as irregularidades e buracos.

img_manutencao_MTB_Bomba

Principalmente na cidade, pneus bem calibrados durão mais e a bike roda mais rápido!

img_manutencao_MTB_Centralizacao_Rodas

Rodas bem centralizadas mantém a bike estável, sem puxar ou vibrar, e se os freios atuam nos aros, esse cuidado é fundamental.

img_manutencao_MTB_Pano_Umido

Evite lavar a bike com mangueira ou máquinas de alta pressão, muitas vezes o pano úmido resolve, mas se não tiver jeito, esteja disposto a desmontar tudo para repor a lubrificação.

No caso do ciclista que faz trilhas todos os finais de semana, enfrentado poeira, água lama e terreno bem acidentado, é aconselhável desmontar toda a bike para fazer uma manutenção mais detalhada, se estendendo aos cubos, pedais, caixa de direção e de centro, retirando a corrente, desmontando a pedivela e até a suspensão, trocando o óleo alguns veladores, outro componente que normalmente se troca são os cabos dos câmbios.
Essa manutenção deve se repetir toda semana ou após o uso da bike em trilhas pesadas.
Segundo Alex, os componentes estão muito mais sofisticados que os modelos de alguns anos atrás, e eles requerem manutenção especializada, não apenas as ferramentas, mas também conhecimento, produtos que não ataquem o carbono, a anodização e que tenham um cheiro agradável, pois muitas destas bicicletas são transportadas no interior dos veículos.

img_manutencao_MTB_Limpeza_Corrente

Fique de olho na limpeza da corrente, coroas e cassette, pois esses componentes sofrem desgaste acentuado em condições extremas de uso.

img_manutencao_MTB_Pastilhas

Chuva e lama podem acelerar o desgaste das pastilhas de freio, e este item também deve ser observado nas manutenções periódicas.

img_manutencao_MTB_Corrente

No uso urbano, lubrifique a corrente 1 vez por semana, no fora de estrada, sempre que for fazer trilha, lembrando que existem os óleos para ambientes úmidos e o teflonados para ambientes secos e com poeira.

Com poucos recursos e sem o ferramental adequado, a gente pode ir até certo ponto, quem tem a possibilidade de dar um trato na bike em casa, pode manter limpa e lubrificada a transmissão, utilizando lavadores de corrente, um desengraxante e algumas escovas, pois esses componentes são os que sofrem maior desgaste em  condições severas, e para fazer mais do isso, você precisa ter várias ferramentas, cavalete de manutenção, produtos de limpeza especiais, etc, ou considerar a possibilidade de largar as trilhas, mas isso não dá pra fazer não é?

Bom pedal!

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter