Pedalando no frio

Saiba o que fazer pra pedalar no frio

Basta sentir aquele vento frio, o tempo cinza, com cara de chuva pra gente colocar em dúvida aquela vontade de pedalar qualquer dia e qualquer hora, exceto os ciclistas profissionais que treinam e participam de campeonatos, esses não ligam para o mau humor do clima, e você?
O problema de pedalar com baixas temperaturas é que a gente transpira, e esse suor encharca a roupa, quando você para ou diminui o ritmo esse suor esfria, e basta um ventinho pro corpo gelar, até mesmo quando a gente se mexe, sente a roupa molhada, mesmo usando uma capa corta vento.

img_Roupas_Frio_Manguito_Curtlo

O manguito é uma manga removível que pode ser colocada e retirada com a bike em movimento, ideal para treinos pela manhã, onde a temperatura se eleva com o passar das horas.

A Pedaleria procurou uma loja de esporte outdoor, especializada em escalada, acampamento, corridas de aventura, gente que está acostumada com a prática de esportes ao ar livre, quase sempre com grande variação de temperatura, pois em uma escalada por exemplo, o atleta inicia em temperatura ambiente e ela vai gelando durante a subida.
Aproveitando esse conhecimento e o vasto portifolio de produtos, escolhemos algumas roupas que podem atender as necessidades dos ciclistas, roupas confortáveis e cheias de tecnologia, que ajudam muito a pedalar no frio.

As roupas conhecidas como segunda pele possuem os mecanismos que os ciclistas necessitam, pois elas conseguem canalizar o suor pra a camada mais externa da roupa, proporcionando rápida evaporação, mantendo seca a camada interna em contato com a pele. Esse tipo de roupa só funciona quando colocada por baixo de tudo, não adianta usar a segunda pele por cima de uma camiseta de algodão ou até mesmo a camisa de ciclismo, que se manterá molhada e colada na pele.

img_Roupas_Frio_Segunda_Pele_Curtlo

A chamada “Segunda Pele”, trabalha junto ao corpo, canalizando a humidade para a camada mais externa do tecido, mantendo a interna seca e na temperatura correta.

Algumas peças possuem outras tecnologias, como ação bacteriostática, que impede a proliferação das bactérias do suor, mantendo o conforto e evitando o odor da transpiração mesmo quando usadas por alguns dias sem lavar. Internamente, elas podem ter camadas mais espessas e aveludadas de tecido sintético que não absorvem humidade, apenas transferem para camadas mais externas, com diferentes níveis de proteção, mantendo a temperatura estável e retendo o calor corporal.

Proteção para todo o corpo

A segunda pele pode ser encontrada também em calças, luvas, meias, balaclavas, manguitos, pernitos e até nas roupas íntimas, conhecidas como “underwear”, contando também com a proteção anti-atrito. As peças são confortáveis em altas e baixas temperaturas, pois permitem que o corpo mantenha a temperatura ideal, expelindo humidade e ar quente em excesso, além de proteger a pele dos raios UVA e UVB.

As capas corta vento são práticas e pequenas, podendo ser facilmente dobradas e guardadas nos bolsos quando a temperatura sobe, situação típica de quem pedala pela manhã, quando a temperatura aumenta gradativamente no decorrer das horas, alguns modelos repelem água, e são resistentes a respingos e garoas. Corta vento e segunda pele juntas fazem um ótimo trabalho de aquecimento e proteção.

img_Roupas_Frio_Corta_Vento_e_Segunda_Pele

A capa corta vento combinada com a segunda pele oferecem ótima proteção, com a vantagem da capa ser bastante compacta quando dobrada. Cabe em qualquer bolso!

As roupas são bonitas e tem ótimo acabamento, podendo ser usadas também para atividades não esportivas, oferecendo além das proteções, muito conforto e flexibilidade. Lembre-se também, é claro, das extremidades do corpo, como mãos, cabeça e pés, que também podem contar com peças de roupas como descrevi aqui, com toda essa tecnologia

Agora não tem desculpa, nada de largar a bike na garagem porque tá fazendo frio!

Bom pedal!

Agradecimento a BIVAK Outfitter
www.bivak.com.br

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter