Pistões dos freios a disco

Entenda como funcionam os pistões dos freios a disco

Os freios a disco com um, dois ou quatro pistões possuem características diferentes entre sí e são destinados a diferentes modalidades do MTB ou Road. A Pedaleria explica para você as diferenças e funcionamento de cada um deles.

Fortes, moduláveis, bonitos e atualmente leves, mas nem sempre foi assim, os primeiros freios a disco para bicicletas que surgiram foram freios derivados das motocicletas, muito grosseiros e pesados. Entre 1994 e 1995 modelos fabricados para Downhill apareciam com mais frequência nas provas dos mundiais mas não eram refinados como os de hoje, a evolução foi lenta e gradual.

Quem se lembra dos primeiros freios a disco da Coda, Sachs, Magura e o Pro Stop da emblemática bike de Downhill “Mountain Cycle San Andreas Suspenders” de 1992? Eles esquentavam, vazavam e não davam conta do recado. Por muito tempo ciclistas espalhados pelo mundo queria ter esses equipamentos em suas bikes, mas eram barrados pela dificuldade de encontrar a princípio o freio, e se encontrassem ainda teria um trabalho enorme para fazer a adaptação do equipamento em um quadro e garfo ou suspensão sem os suportes para as pinças de freio.

De uns 10 anos pra cá é que os quadros e suspensões caros ou baratos receberam os suportes para montagem de freios a disco, e o que era luxo ou modismo hoje é realidade, tanto que bicicletas Road e Ciclocross entraram recentemente na onda dos freios a disco, que superando as barreiras tecnológicas, ficaram leves e com preços mais competitivos.

A parte de baixo dos freios a disco é conhecida como Cáliper ou Pinça de Freio, nela estão alojadas as pastilhas de freio, os êmbolos (pistões) e outras peças de acordo com o sistema, mecânico ou hidráulico.

Freio a disco com 2 pistões

Cáliper de freio com dois pistões e montado no suporte adaptador International Standard (IS).

Freio a disco mecânico

Os freios a disco mecânicos são acionados por cabo de aço como um V-Brake ou Cantilever, e dentro do cáliper um ou dois pistões pressionam as pastilhas contra o disco. Nos modelos mais simples, apenas um pistão faz o trabalho, pressionando uma pastilha e levando o disco até a outra que é fixa mas permite regulagem de aproximação, e como o disco (rotor) é bastante flexível, ele se “entorta” entre 2 e 3 milímetros voltando a posição inicial quando soltamos o freio.

Esticador de cabo do freio a disco

Nos modelos mecânicos é fácil ajustar o curso das manetes de freio, basta girar o esticador do cabo.

Ajustando as pastilhas

O ajuste de ”toque” entre pastilhas e disco é feito pelo lado interno do cáliper.

Freios a disco mecânicos equipam bikes de entrada (as mais baratas das linhas), mas também existem modelos a cabo sofisticados, que equipam Road Bikes e Ciclocross dando ao ciclista a liberdade de manter as manetes de freio originais, sendo elas na maioria das vezes, modelos com alavancas de mudanças de marchas (alavancas de comando duplo) tipo STI, Ergopower, etc.

Freio a disco mecânico Bengal

Aqui você pode visualizar o funcionamento do freio a disco mecânico.

Freio a disco mecânico

Alguns modelos de freio a disco mecânico são pintados, outros anodizados. Esta marca oferece o produto em 5 cores.

Freio a disco mecânico e leve

Os freios mecânicos são pequenos, este pesa apenas 170Gr.

Freio hidráulico 2 pistões

O modelo hidráulico de 2 pistões é o mais comercializado entre todas as marcas, com tamanhos, formatos e cores diferentes, ele atende a maioria das mountain bikes profissionais e Sport, All Mountain, Urbanas, Biketrial, Road e Ciclocross.

Dentro do cáliper, dois pistões acionados por óleo empurram as pastilhas ao mesmo tempo, prensando o disco por igual. Freios desgastados, sujos ou com pouco óleo podem ter seus pistões avançando ou retornado de forma desigual, mantendo por exemplo uma das pastilhas constantemente apoiada no disco, causando arrasto e ruídos

Compressão dos pistões no freio a disco

O desenho mostra os dois pistões comprimindo as pastilhas de freio.

Cálipers com dois pistões são maioria entre todas as marcas produzidas no mundo.

Cálipers com dois pistões são maioria entre todas as marcas produzidas no mundo.

Freio a disco Shimano XTR

Compacto e leve, o modelo Shimano XTR também utiliza dois pistões.

Freio hidráulico 4 pistões

Os modelos com 4 pistões são os mais poderosos freios hidráulicos e equipam bicicletas de Downhill, Freeride/Enduro e Biketrial. Por terem mais peças, são algumas gramas mais pesados e também transmitem mais força aos suportes no quadro e suspensão.

No interior do cáliper, 4 pistões empurram uma pastilha maior, geralmente retangular, que prensam o disco de freio por igual ou de forma progressiva, dependendo do modelo do freio. Essa progressão ocorre quando no primeiro momento da frenagem apenas 2 pistões são acionados e os outros dois somente quando aplicamos mais força na manete. Neste caso, o modelo de cáliper tem dois pistões maiores e dois menores.

Quatros pistões

Nesta ilustração é possível ver a posição dos 4 pistões dentro do cáliper.

Observe na lateral do cáliper as saliências circulares que indicam a posição dos pistões, dois de cada lado.

Observe na lateral do cáliper as saliências circulares que indicam a posição dos pistões, dois de cada lado.

Nesta Biketrial, um antigo SRAM 4 pistões fabricado pela italiana Grimeca, que forneceu em 2001 o mesmo projeto a Shimano, porém com outro óleo e acabamento.

Nesta Biketrial, um antigo SRAM 4 pistões fabricado pela italiana Grimeca, que forneceu em 2001 o mesmo projeto a Shimano, porém com outro óleo e acabamento.

Freio hidráulico com acionamento mecânico

O curioso modelo híbrido surgiu para atender inicialmente as Road Bikes e Ciclocross, para que se possa manter as manetes de freio de duplo comando e ter um freio hidráulico poderoso.

Seu cáliper especial abriga o reservatório de óleo que normalmente fica na frente da manete de freio. Um pequeno braço movimentado pelo cabo de aço, aciona o pistão do cilindro mestre junto ao reservatório de óleo, que por sua vez move dois pistões hidraulicamente e com muito poder de frenagem, visto que seu tamanho é pequeno se comparado ao sistema convencional.

O modelo das fotos foi destaque na comunidade do Ciclocross na Interbike 2014 e utilizado na prova Cross Vegas em setembro.

Freios a disco da TRP - Leveza

O compacto sistema de freio a disco TRP com “pinça e reservatório” juntos é obra da Tektro Racing Products, e pesa 195Gr.

O freio foi projetado para Road e Ciclocross, mas pode ser instalado com qualquer manete de freio a cabo.

O freio foi projetado para Road e Ciclocross, mas pode ser instalado com qualquer manete de freio a cabo.

Leve e inovador, o freio híbrido TRP utiliza rotor de 140mm pesando 89Gr.

Leve e inovador, o freio híbrido TRP utiliza rotor de 140mm pesando 89Gr.

Agora ficou mais fácil identificar qual sistema de freios a disco atende melhor as suas necessidades, e independente da quantidade de pistões, saiba que esse equipamento evoluiu através dos anos, e está presente na metade das mountain bikes produzidas atualmente.

Para saber mais sobre freios a disco relacionamos os links abaixo:

http://pedaleria.com/explicando-freios-a-disco/

http://pedaleria.com/freio-disco-fixacao/

Bom pedal!

 

 

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Repaginamos a Monark Barra Circular

A Barra Circular é uma bike clássica, pau pra toda obra mas que merece um upgrade para virar bike conceito No passado, as bicicletas eram modelos únicos, tinha a masculina e a feminina, e eram usadas para tudo, serviam para o transporte, lazer e competição. Com o...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter