Mudança de marcha perfeita, aprenda em 2 minutos

Chega de crec crec ao trocar a marcha da bike

Sabe aquela mudança de marcha barulhenta, que todo mundo olha e parece que a bike está quebrando, pois é, todo mundo pode errar a mudança, até os profissionais, e isso acontece por falta de orientação, de atenção e até por cansaço ou stress, típicos nos ambientes de competição.

img_Passando_Marchas_Corretamente_na_Bike

As trocas de marchas nas subidas exigem maior disciplina por parte dos ciclistas, ela deve ser feita aliviando a força da pedalada no momento exato da troca.

Os estalos e rangidos podem acontecer nas coroas e também no cassette ou catraca, indicando que a mudança de marcha foi feita de forma errada, aplicando muita força nos pedais durante a cambiada. Na mudança ideal, diminuímos levemente o passo das pedaladas para fazer a troca de marcha, principalmente na redução, quando estamos subindo uma inclinação. Isso ocorre em uma fração de segundo, e é até difícil de perceber quando bem executada, pois na sequência, retomamos o ritmo anterior das pedaladas.

img_Troca_de_Marchas_da_Bike_na_Subida

Quando não aliviamos a pressão das pedaladas, o câmbio tem muito mais dificuldade em tirar a corrente de uma engrenagem e jogar na outra, forçando o sistema e fazendo muito barulho.

O resultado disso é uma troca mais rápida, sem barulho e sem desgaste da transmissão da bicicleta. A troca errada acaba desgastando coroas, cassette e corrente, desalinhando o câmbio dianteiro e afrouxando os cabos dos câmbios. Outra coisa que não se deve fazer, são as trocas de marchas pedalando em pé, isso força demais a transmissão, pois é impossível aliviar o peso do corpo, chegando até a arrebentar a corrente.

Observe como você está trocando de marcha, se notar ruídos altos, alivie o pé na próxima troca, sua transmissão agradece!

Bom Pedal!

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter