Levamos uma dobrável ao extremo

Se aguentou o Edu Capivara no Biketrial…

A maioria dos ciclistas admira uma bike dobrável pela inquestionável praticidade, mas ainda tem dúvidas quanto a resistência. Seus quadros são bem diferentes, as articulações e dobradiças bem aparentes mas nada igual aos antigos projetos feitos em ferro, que não eram muito seguros e duravam pouco nas mãos da molecada.

Como a maioria sabe, meu esporte é o Biketrial, e não consigo pedalar comportadamente nas trilha e nem na cidade, uma oportunidade e tanto para avaliar a resistência e a eficiência do modelo Link D8 da Tern, uma bike aro 20” em alumínio, desenhada e construída para mobilidade urbana, com direito a para-lamas, bagageiro, manoplas ergonômicas, pedais dobráveis, pezinho e por aí vai.

A bicicleta dobrável

O conceito de bicicleta dobrável não é novo, entre 1890 e 1903 apareceram vários modelos de bikes dobráveis pelo mundo, muitos deles desenvolvidos para o exército. As dobráveis foram fabricadas no Brasil na década de 70, e apesar de dobrar, não eram muito compactas.

A dobrável da Tern leva ao pé da letra o conceito de bike compacta, pois tudo dobra, rebate e se encolhe para que fiquem realmente pequenas, em uma operação de poucos segundos. Além do quadro, sua longa mesa do guidão é rebativel, os pedais dobram e ficam paralelos ao pedivela, formando um volume de aproximadamente 70×70 cm (A x C) e 34 cm de largura no modelo com aro de 20 polegadas. Recursos como imã e cintas de borracha mantém a bike dobrada e fácil de ser carregada.

img_Tern_Link_D8_01

A operação de dobra e rebatimento das partes leva apenas 15 segundos, tudo é rápido e se encaixa perfeitamente.

img_Tern_Link_D8_Dobrada

Componentes e construção 

Esse modelo Link D8 que eu teste está equipada com câmbio traseiro Suntour desenvolvido para esse tipo de bike, ele é compacto e fica longe do chão e mais para dentro do quadro, evitando choque no transporte da bike desmontada.
As mudanças de marcha são feitas pela alavanca giratória Grip Shift da Sram com 8 velocidades, e sua super coroa de 52 dentes com cassette de 12 a 32 dentes dão conta do recado, superando com tranqüilidade subidas e descidas. Como recurso aos usuários, ela possui cobre corrente circular e um dispositivo que evita que a corrente escape da coroa em trechos com piso irregular.

img_Tern_Link_D8_Relacao

Coroa de 52 dentes combinada com cassette 12 a 32 dentes atende bem a subidas e descidas. O câmbio Suntour tem perfil baixo e transportador de corrente ultra-curto, ficando mais protegido no transporte da bike quando dobrada.

img_Tern_Link_D8_Ima_e_Pezinho

Para manter a bike fechada quando está dobrada, foi criado um dispositivo a base de imãs localizado na gancheira da roda traseira próximo ao cubo, e na dianteira na lateral do garfo.

img_Tern_Link_D8_Ima_Garfo

Suas rodas tem cubos e aros de alumínio montadas com raios de inox e calçadas com pneus para asfalto com faixa lateral refletiva, tornando a bicicleta mais visível a noite.

O quadro é construído em alumínio 6061 T6 (temperado) com desenho inicial tipo mono-viga, que se divide em 2 treliças a partir da articulação central. Sua mesa é uma Phisys QR forjada a frio em alumínio 6061, com um formato bastante incomum, um tubo cônico com uma articulação embaixo e ajuste giratório para guidão em cima, e não necessita ferramentas para ajustes de postura, rodas, banco e gudião também utilizam alavancas tipo “quick release”.

img_Tern_link_D8_Traseira

Quadro em alumínio 6061 T6 (temperado) e articulações tipo quick release tornam o modelo muito confiável. Detalhe do bagageiro que já vem com elásticos para facilitar o uso.

As articulações da mesa e do quadro são bem parrudas, e sua alavanca de montagem/desmontagem permite ajustar a pressão de fechamento da alavanca, basta girar o eixo interno para modificar a força de fechamento, um recurso valioso para quem utiliza a dobra diariamente, caso apareça alguma folga.

Pedalando

A bicicleta é confortável e veloz, seu guidão é estreito, o que é ótimo no trânsito e a mesa não avança sobre a roda dianteira como as MTB e Road Bikes, por isso as reações são rápidas quando queremos desviar ou fazer retorno em locais estreitos. O selim é plano na parte superior e muito confortável, surpreendeu. O modelo é recomendado a ciclistas com estatura entre 1.42m a 1.90m e com peso máximo de 110Kg.

img_Tern_Link_D8_Mesa

A longa mesa de guidão Physis QR forjada a frio. É possível ajustar a inclinação do guidão ou rebate-lo deixando as manetes mais protegidas durante o transporte.

A relação 1×8 anda bem no trânsito, nos planos e descidas a combinação 52×12 dá 4,3 voltas na roda traseira para cada volta no pedivela.  Na subida, a primeira marcha é 52×32 e dá 1,6 voltas na roda para cada volta no pedivela.

img_Tern_Linkj_D8_na_Subida

Apesar da grande coroa de 52 dentes, a Tern Link D8 encarou bem as subidas fortes engatada na primeira marcha, pinhão de 32 dentes.

Conclusão

Se você procura uma bicicleta prática, eficiente, resistente e muito compacta, o modelo Link D8 da Tern oferece todos os recursos necessários para seu deslocamento urbano, e ainda pode receber acessórios que aumentam sua capacidade, como bagageiro frontal, alforges laterais dianteiros e traseiros e kit de iluminação.

Compre a sua na loja online da Pedaleria, de R$ 2.950,00 por R$ 2.650,00 em até 6 vezes no cartão pelo Paypal.

Bom pedal!

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter