Recuperando pedivelas

Na década de 80 quando o Bicicross chegou no Brasil, surgiram os pedivelas em três partes (duas pernas e eixo central), muito conhecido e ainda utilizado “eixo quadrado” (square), que pode estragar facilmente o pedivela se estiver com folga no aperto. Principalmente para pedivelas de alumínio o sistema com eixo quadrado gera grande força de alavanca em pequena área de apoio (cada um dos quatro lados do furo), com o agravante de ser alumínio (pedivela), contra aço (eixo), e pode detonar a peça em poucos minutos ao pedalarmos forte com ela solta.

Pedivela espanado

Quando o estrago é grave (esquerda), não tem reparo, mas o da direita (preto), ainda tem esperanças.

Danos no encaixe do pedivela no eixo

Comparando os pedivelas é possível notar que o eixo “girou” parcialmente no interior da peça, modificando a forma do encaixe.

Eixo quadrado

O eixo Square (quadrado), exerce muita força no pedivela e espana facilmente o encaixe se usado com folga.

Quando acontece o estrago a peça está perdida e você é obrigado a trocar todo o conjunto, ou se der a sorte de estragar o lado esquerdo (sem coroas) talvez encontre esse braço usado ou peça para reposição que pode ser de outro modelo, tamanho ou cor.

Pedivela fim de vida

Estrago irreparável. Este pedivela vai para a reciclagem de alumínio. Note como o dano foi além do encaixe no eixo, atingindo até o braço.

Se você precisa de ajuda para resolver isso, seja por motivo afetivo ou financeiro, aí vai a dica da Pedaleria seguindo o que fazíamos na época do BMX, o que pode ajuda seu Sugino, Kooka, Campagnolo, Cook Bros, Syncros, Miche, Shimano Biopace, Vuelta, etc, a voltar para a bicicleta.

Solução de 50 centavos

A recuperação consiste em “calçar” a folga dando uma sobrevida ao pedivela e, seguindo atentamente os passos abaixo, ele poderá rodar um bom tempo. Eu já usei esse recurso no BMX e também no Biketrial, onde saltar de obstáculos altos pode causar esse tipo de dano ao pedivela.

1º Passo:

Desbastar a área do estrago (4 lados) com lima triangular ou chata, que passe pelo furo. Trabalho de paciência, tente manter intacta a inclinação de cada lado, pois o furo é cônico, e tem que voltar a ser quadrado.

Usando a lima no pedivela danificado

Para remover a parte afetada, utilize lima triangular ou chata, sem pressa, é trampo de paciência.

Lixando o pedivela

Tire somente o necessário, mantendo preservada a inclinação de cada lado do furo.

img-Recuperando_Pedivela_Furo-Ajustado

2º Passo:

Calçar a peça, o que a lima tirou deve ser reposto. Use uma lâmina de barber antiga (grande), que custa 50 centavos a unidade, ela é fina e fabricada em aço muito resistente para essa função de “enxerto”. Quebre a lâmina em quatro partes com muito cuidado, pois ela é extremamente afiada mesmo usada.

Usando uma lâmina de R$0,50

A antiga lâmina de barbear de R$ 0,50 será o calço para para o trabalho de recuperação do encaixe.

Quebre a lâmina com cuidado. Sugerimos o uso de um pano para evitar cortes.

Quebre a lâmina com cuidado. Faça este procedimento com um pano ou luvas apropriadas para evitar cortes.

Lâmina pronta para o enxerto

Após quebrar a primeira parte, quebre novamente, resultando em 4 partes iguais.

3º Passo:

Utilizando cola de contato ou cola de remendo de pneu, cole cada pedaço da lâmina nas faces do eixo. Passe cola no eixo e na lâmina, espere secar e aplique. Não esqueça de limpar e retirar qualquer resíduo de óleo ou graxa das partes a serem coladas antes de iniciar este procedimento.

Obs: Utilizamos um eixo antigo para ficar mais visível quando finalizado.

Colando os pedaços de lâmina

Passe cola de contato na ponta do eixo e nos pedaços de lâmina, espere secar e cole conforme a foto.

img-Recuperando_Pedivela_Cola_na_Lamina

Lâmina colada no eixo

Ao quebrar a lâmina ela fica com uma borda arredondada, use esta parte na ponta do eixo.

4º Passo:

Agora que os calços estão fixados, instale o pedivela no eixo batendo no pedivela com um martelo de poliuretano ou martelo comum protegendo a peça com uma madeira, pois ele precisa encaixar bem. Aperte a porca ou parafuso (de acordo com o eixo de sua bike), e use um pouco de graxa “apenas na rosca”, para evitar que trave ou espane.

Recolocando o pedivela recuperado no eixo

Na montagem do pedivela, utilize martelo de poliuretano para que ele entre até ficar firme e sem estragar a peça.

A sobra de lâmina pode ser removida com alicate de bico.

A sobra de lâmina pode ser removida com alicate de bico.

Serviço finalizad no pedivela

Finalizada a recuperação, a peça fica com este aspecto.

Pronto, trabalho concluído. Se preferir, você pode arrancar os pedaços de lâmina que sobraram para fora da peça, use um alicate de bico fino. Esta é uma manutenção para ser feita em casa, dificilmente uma loja ou oficina aceitará fazê-la e depende muito do estado do pedivela, se mesmo após o procedimento seu pedivela continuar com folga, por menor que seja, o melhor a fazer é substituir a peça de vez. Mas vai por mim, com tantos anos de experiência fazendo isso, se o pedivela ficar justinho e com encaixe perfeito, as lâminas aguentarão por muito, muito tempo.

Curiosidade: Ao quebrar a lâmina, ela fica com uma pequena borda dobrada, use essa parte na ponta do eixo para ajudar na entrada do pedivela.

Bom pedal!

 

 

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Repaginamos a Monark Barra Circular

A Barra Circular é uma bike clássica, pau pra toda obra mas que merece um upgrade para virar bike conceito No passado, as bicicletas eram modelos únicos, tinha a masculina e a feminina, e eram usadas para tudo, serviam para o transporte, lazer e competição. Com o...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter