Bicicleta acima dos 60

Dia do idoso – 1 de outubro

Acompanhamos a manhã de uma pessoa muito especial, uma ida a feira de produtos orgânicos, enfrentando um pouco de trânsito intenso e também paisagens nunca antes notadas. Constatamos a figura de uma pessoa ativa, saudável, feliz e ao mesmo tempo moderna e seguidora de conceitos que em seu país de origem fazem parte da sociedade a muitos anos.

img-terceira-idade-produtos-organicos

Marieke Joris, de 63 anos, nasceu na Bélgica e veio ao Brasil com o marido nos anos 70, passou por várias dificuldades como quase todos os jovens casais, diferenças na língua, na comunicação, na cultura e também na forma de se locomover. O Brasil da época era outro e mesmo assim seguiu suas tradições do país natal e sempre adotou a bicicleta como meio de transporte.

img-terceira-idade-marieke

Conheço a Marieke a uns 10 anos e na última semana a convidei para um bate papo a bordo de nossas bikes, e o destino foi uma feira de produtos orgânicos na zona sul de São Paulo. O trajeto é muito conhecido por nós dois e principalmente por ela, que vai ao mesmo local todas as semanas a tantos anos fazer suas compras.

img-terceira-idade-marieke-na-subida

Natureba e consciente

A Marieke é uma daquelas senhoras que prefere receitas naturais, faz pães e sucos incríveis, sempre com receitas diferentes e deliciosas e que faz feira toda semana, selecionando os ingredientes meticulosamente e acondicionando tudo em sua bike, que independente da marca, características ou estética, cumpre sua função, levando sua condutora pra cima e pra baixo pelo bairro.

img-terceira-idade-marieke-laranjas

A consciência que ela tem referente a sua participação no trânsito tem tudo a ver com a vida que se leva na Bélgica, onde a bicicleta é um veículo utilizado pela maioria dos habitantes das cidades. Ela tem plena convicção de que colabora com um ar mais limpo e um trânsito menos complicado em São Paulo.

img-terceira-idade-marieke-laranjas-02

Ida e volta

img-terceira-idade-marieke-na-rua

Fizemos um trajeto de pouco mais de 5 quilômetros ida e volta, bem curto é verdade, mas que deu para explorar algumas ruas e avenidas de forma diferente de quando estamos dirigindo um carro. A disposição da Marieke é empolgante e esbanja vigor que muito marmanjo preguiçoso por aí morreria de inveja. Estou falando de uma mulher de 63 anos que usa a bike para ir não só a feira, mas ao supermercado, à natação e a outros tantos lugares como se fosse uma garota de 15 anos. E o maior incentivo? Além do trânsito caótico, tem o sangue Belga, a experiência que ela trouxe de sua terra natal e que pode ser passado de geração a geração, para todas as pessoas. Parece que é o que precisamos por aqui.

img-terceira-idade-marieke-bike

Pedalamos em um ritmo tranquilo, em certo ponto um pouco estressante por causa do trânsito, mas sempre com muita calma e guindo por ruas vicinais a maior parte do tempo. Eu e a Marieke chegamos em poucos minutos ao nosso destino sem problemas. Todos os motoristas respeitaram muito nossas manobras, sinalizações e por incrível que pareça foram muito gentis.

img-terceira-idade-marieke-preparando

O destino

img-terceira-idade-feira-03

A idade não atrapalha em nada a rotina da Marieke, e percebi que devemos incentivar bastante o pessoal da chamada “terceira idade” ou que estão acima dos 60 a pedalarem por aí. Notei que o exercício frequente deixa a Marieke muito mais disposta para o dia a dia, com fôlego e disposição para todas as tarefas. Vamos incentivá-los e indicar a bicicleta certa para essas atividades?

img-terceira-idade-feira-02

Bom, voltando ao assunto, chegando na feira fiquei surpreso com a receptividade dos feirantes, todos muito amigos da Marieke, todos a conheciam e ela foi logo selecionando verduras e frutas no maior pique, ela não para pra nada. Conversa com um, com outro, compra uma coisa aqui e outra alí e no final estava com duas sacolas cheias, e pesadas, que acondicionou na cadeirinha que usa para levar a netinha para passear. Prendeu tudo direitinho, colocou o capacete e o óculos de sol e partiu pro retorno.

img-terceira-idade-marieke-pegando-caixa

img-terceira-idade-marieke-laranjas-02

Conclusão

img-terceira-idade-marieke-passando

Quanto mais conheço as pessoas com mais idade e experiência de vida que pedalam e levam uma vida saudável, mais me pergunto porque não vemos mais idosos pedalando por aí. Acredito que tem uma mistura de medo, receio, e até um pouco de vergonha por parte deles de ainda achar que bicicleta é coisa de criança (não estou generalizando). Mas isso está mudando, e exemplos como os da Marieke podem ser o gatilho para que outros idosos sigam os mesmos passos dessa grande amiga, comprando bicicletas, aprendendo a pedalar e se exercitando por aí.

img-terceira-idade-masacolas

Como neste post da nutriconista Lara Natacci, que dá dicas sobre alimentação para a terceira idade que usa a bicicleta, o exercício feito com a bicicleta em simples tarefas como ir a feira somado a educação alimentar faz com que os idosos recuperem seu vigor muscular e cardíaco e aproveitem a vida com mais saúde.

img-terceira-idade-preparando-sacolas

Os filhos e netos agradecem. Terão avós saudáveis, participativos e até aventureiros para compartilhar tanta experiência de vida.

A gente se vê!

Um abraço

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Repaginamos a Monark Barra Circular

A Barra Circular é uma bike clássica, pau pra toda obra mas que merece um upgrade para virar bike conceito No passado, as bicicletas eram modelos únicos, tinha a masculina e a feminina, e eram usadas para tudo, serviam para o transporte, lazer e competição. Com o...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter