Erros que podem custar caro

Quem nunca fez uma besteira relacionada a bicicleta, mesmo que tenha sido a muito tempo, na infância ou adolescência, adulto também erra, ninguém sabe tudo, a lei da vida acaba ensinado a duras penas não é?

Um parafuso quebrado por apertar demais, uma rosca espanada, uma peça quebrada ao tentar endireitá-la, e por aí vai, podemos errar mas não podemos repetir o erro, por isso a Pedaleria preparou alguma dicas importantes pra você se livrar da zica, mostrando alguns erros comuns que podem custar caro.

Manetes e comandos de mão

Nunca deixe os comandos de mão muito apertados, em caso de tombo, eles devem girar um pouco no guidão evitando a quebra. A dica é deixar solto o suficiente para que se mova colocando um pouco de força ao testar com a mão.

Comandos de mão como as manetes de freio, não devem ficar muito apertados na fixação, podem quebrar em um tombo por não girarem.

Comandos de mão como as manetes de freio, não devem ficar muito apertados na fixação, podem quebrar em um tombo por não girarem.

Parafuso quebrado ou espanado

Evite quebrar parafusos ou mesmo espana-los fazendo apertos cuidadosos. Peças que possuam mais de um parafuso de fixação como avanços (mesa de guidão), devem ser apertadas aos poucos e alternando os parafusos durante o aperto.

Parafusos de aço em peças de alumínio é risco de estrago, portanto vá devagar, sentindo o aperto, mas o ideal é usar um torquímetro pra apertar no limite exato.

Principalmente em peças de alumínio, manere no aperto de parafusos, use o torquímetro, é mais seguro.

Principalmente em peças de alumínio, manere no aperto de parafusos, use o torquímetro, é mais seguro.

Ferramentas

Ter algumas ferramentas ajuda bastante na hora de fazer a manutenção ou instalação, mas se vacilar elas podem te trair. O saca pedivela (extrator) pode arrancar a rosca da peça se você o instalar torto, e com as mudanças de eixos centrais o saca pedivela comum para eixo square (quadrado) pode danificar os eixos Octalink e Isis, use a ferramenta certa.

Mesmo com a ferramenta certa podemos estragar a peça rosqueando torto e arrancando os fios da rosca.

Mesmo com a ferramenta certa podemos estragar a peça rosqueando torto e arrancando os fios da rosca.

Quadro e peças de fibra de carbono

O risco de amassar um quadro na manutenção não é de hoje, no tempo dos quadros de Cr-Mo (Cromo molibdênio) com dupla ou tripla espessura na parede dos tubos existia o risco de dano ao prender a bike nos cavaletes de manutenção. Hoje esse risco atormenta os quadros e canotes de carbono, já que esses suportes aplicam muita força em uma pequena área, o simples procedimento requer muita atenção do profissional de oficina ou dos proprietários que possuem o equipamento.

No caso dos canotes e guidões, o risco é o mesmo, eles podem rachar ou delaminar quando comprimidos além do permitido, para os canotes utilize uma ferramenta especialmente feita para segurar o quadro por dentro do seat tube (parte do quadro onde entra o cabote de selim), e para os guidões utilize o torquímetro, apertando de acordo com a recomendação gravada na peça.

Se o canote for de carbono, não prenda a bike no suporte de manutenção por ele, utilize a ferramenta específica para isso, que vai presa dentro do quadro, no seat tube.

Se o canote for de carbono, não prenda a bike no suporte de manutenção por ele, utilize a ferramenta específica para isso, que vai presa dentro do quadro, no seat tube.

Quadros de Cromo Molibdênio ou Carbono, com parede finas, podem amassar ou rachar nas fixações muito apertadas nos cavaletes de manutenção.

Quadros de Cromo Molibdênio ou Carbono, com parede finas, podem amassar ou rachar nas fixações muito apertadas nos cavaletes de manutenção.

Este é o dispositivo para fixar quadros de carbono em suportes de manutenção sem danificá-los.

Este é o dispositivo para fixar quadros de carbono em suportes de manutenção sem danificá-los.

Estes são alguns cuidados que você deve tomar para evitar despesas extras com a manutenção da sua bicicleta, e poderá passar boas horas “procurando o que fazer nela”, sem causar nenhum estrago!

Bom pedal!

 

<a href="https://pedaleria.com/autor/educapivara/" target="_self">Edu Capivara</a>

Edu Capivara

Edu Capivara é Delegado Internacional do Biketrial no Brasil desde 1991 e introdutor do esporte em meados da década de 80. É amigo pessoal de Pedro Pi, o inventor do Biketrial e de toda a cúpula da BIU (Biketrial International Union) . Profundo conhecedor do mundo da bike, começou suas aventuras em modalidades como o BMX e o Mountain Bike no início desses esportes no Brasil. Já participou de campeonatos mundiais de biketrial pelo mundo todo, inclusive do primeiro, em 1986 na Europa.

Veja mais

Crescendo no ciclismo com saúde

Crescendo no ciclismo com saúde

Muitos ciclistas querem criar uma rotina de treinos visando participar de competições, mas fazer isso sem orientação acaba levado esse ciclista a outro tipo de rotina, vários dias se recuperando das lesões causadas pelos excessos. Seja um ciclista amador, ocasional,...

Porta objetos para bike

Porta objetos para bike

Existem vários tipos de bolsas para quadro, mas também dá pra fazer modelos personalizados Quando repaginamos a Monark Barra Circular,  eu fiz um porta objetos redondo porque combina com o desenho da bike, agora eu quero propor outros modelos, para quadros...

Repaginamos a Monark Barra Circular

A Barra Circular é uma bike clássica, pau pra toda obra mas que merece um upgrade para virar bike conceito No passado, as bicicletas eram modelos únicos, tinha a masculina e a feminina, e eram usadas para tudo, serviam para o transporte, lazer e competição. Com o...

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cadastre-se em nossa Newsletter